sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Ainda acerca do casamento

Não ao casamento Homossexual - Alegações em legítima defesa do matrimónio natural


Conferência na UCP - por Gonçalo Portocarrero de Almada

2 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Uma conferência recheada de falácias. Dou um só exemplo: Gonçalo Portocarrero de Almada compara a minoria dos homossexuais com a minoria dos canhotos, para concluir que pretenderem aqueles casarem-se é tão absurdo como pretenderem estes que a circulação rodoviária se faça pela esquerda.
Obviamente que a comparação não é legítima. Por razões de praticabilidade e segurança, a circulação rodoviária ou se faz pela direita, ou se faz pela esquerda. Não é viável que se faça pela direita ou pela esquerda, consoante o que mais agrade ao condutor. Mas não é assim na questão do casamento de homossexuais. O facto de estes reclamarem para si o direito de se casarem com uma pessoa do mesmo sexo não impede que os heterossexuais se possam casar, se assim o preferirem, com uma pessoa do sexo oposto.
Questão diferente é a de saber se do conceito de casamento se pode predicar a união de duas pessoas do mesmo sexo.Gonçalo Portocarrero de Almada diz que não e com bons argumentos. Mas, no fundo, a questão é estritamente semântica: a que é que chamamos ou podemos chamar casamento?

Funes, o memorioso disse...

Gonçalo Portocarrero de Almada compara a minoria dos homossexuais com a minoria dos canhotos, para concluir que pretenderem aqueles casarem-se...

No meu comentário anterior, a frase transcrita deve ler-se no sentido de pretenderem aqueles [os homossexuais] casarem-se com pessoa do mesmo sexo, evidentemente. Nunca ninguém quis questionar o direito de os homossexuais se casarem (com pessoa do sexo oposto).